quarta-feira, 28 de maio de 2014

Amizakart 5ª e 6ª etapas - Resultado oficial

RAMOS/RJ/"REDAÇÃO" (Chove pra caramba!) - Salve galera! 

Imagem com print de tela, do resultado oficial divulgado. Consegui dois bons resultados nesse final de semana, mantendo minha equipe na primeira colocação, e, assumindo a ponta no campeonato por pilotos. 

Agora, teremos duas provas em indoor, Rio Shopping e Nova América respectivamente, e as regras mudam. Em ambas, a volta da parada obrigatória, e a dificuldade natural de ultrapassagem que esse tipo de pista oferece, são ingredientes que acirrarão ainda mais as disputas até o final do campeonato. 

Regularidade nessas duas etapas, é o meu objetivo. 

Forte abraço!


domingo, 25 de maio de 2014

Amizakart 5ª e 6ª etapas - Bateria de convidados.

RAMOS/RJ/"REDAÇÃO" (Não cohve agora) - Essas fotos foram da bateria de convidados do Amizakart (24/05), meu grupo, ontem no Kartódromo Internacional de Volta Redonda. Reparem na condição de pista que andamos, e, nessa hora (entre a nossa primeira e segunda bateria), a chuva tinha diminuído!

Lembrando: 13hp, todos de slick !











Amizakart 2014: 6ª Etapa - Volta Redonda/RJ

RAMOS/RJ/"REDAÇÃO" (Ainda chove) - Salve! Volto com notícias da segunda bateria do dia, a nossa 6ª Etapa Amizakart 2014. Terminada nossa primeira bateria, aguardamos a realização da bateria de convidados, e eu me limitei a tirar as luvas. Nem o capacete eu tirei. Confesso que dessa vez, minha BAT-Roupa de motoboy não resistiu muito, e minha blusa do Amizakart está em petição de miséria. Muito Omo líquido (Para o desespero da minha esposa), e um dia de molho. Acho que salvarei, veremos.

Voltando a prova. Ficamos ali conversando sobre a primeira bateria, e toda a dificuldade que é guiar um kart de 13 hp com pneus slick´s na chuva. Chuva... Temporal meus amigos! Durante a nossa 6ª etapa, 2ª bateria do dia, os refletores foram acesos, e como comentei no post e ontem, aquaplanar era algo corriqueiro, e que por incrível que pareça, eu me acostumei. A traseira do kart toda hora queria passar a dianteira, e toma-lhe contra-esterço e tirada de pé pra acertar. Quando ainda conversávamos veio o anúncio do novo briefing e sorte para a nossa bateria. Dessa vez, peguei o kart 35 que tinha o nome de Jim Clarck. Novamente, não fiz feio!

Saímos para o qualify, e achei que esse estava melhor que o da 1ª bateria, com uma diferença, parecia mais leve. Aquaplanava com mais facilidade. Calibragem mais alta de pneu? Talvez, visto que kart de aluguel, não há muita possibilidade de mudar o stup do carrinho, mas, com o #35 mais arisco que o # 33, foi pra cima. Senti que estava andando forte, e mesmo com o traçado modificado (usamos a chincane na 2ª bateria), eu me adaptei rápido. Fizemos nossas voltas, e novamente o Sérgio largou na pole. Em segundo, salvo engano largou o Richard, e eu saí dessa vez em terceiro. A largada custou a acontecer, acho que alguém trocou de kart, sei lá, nem olhava pra trás, e eis que finalmente o fiscal corre pra nossa frente e aponta o sinal. Pronto, "vambora!"

Larguei bem, mantive a posição, mas na primeira curva, levei dois toques e espalhei. Nisso, caí de terceiro pra quinto... Olha eu em quinto novamente, para me recuperar. Bom, absorvi a porrada e parti pra recuperação. Fui me aproximando dos meus amigos que brigavam pela terceira colocação, e depois de brigar um pouco, recuperei minha posição de largada. Observei o segundo colocado e tracei o rumo. Fui tirando a diferença, entre uma aquaplanada aqui, outra ali, uma esfregada de frente acolá, um entortada em linha reta, e lá fui eu. Cheguei, briguei e passei. Nessa hora, percebi que o Sérgio não estava muito longe, mas, mesmo tentando de todas as formas, prevaleceu a tocada do meu amigo tricolor, que não deu a mínima chance para que eu pudesse atacá-lo. O máximo que eu consegui, foi tirar bem a diferença, com a última volta virando em 1:03.946, enquanto o Sérgio na ponta dos dedos, girava 1:04.552, e assim, cheguei a 5.903 do líder, e devo ter ficado bonito na foto de chegada (Risos). Como disse, o Sérgio não deu mole pra ninguém nas duas baterias. Ele fez a pole, volta mais rápida, e venceu as duas corridas. Andou muito. No comparando, minha melhor volta nessa bateria foi 1:03:675. O Sérgio virou 1:02:732. Amigos, isso em pista seca já é uma diferença considerável, em pista molhada então, fica difícil de buscar o cara.

De tudo, valeu mais uma vez estar com a galera do Amizakart, numa estrutura muito boa do Kartódromo de Volta Redonda, e somei pontos importantes na classificação de pilotos (não posso divulgar ainda), e ajudei meu parceiro que faltou, na classificação por equipe.

É isso. A próxima etapa Amizakart 2014, acontecerá em Junho no Rio Shopping Kart Indoor, e retomaremos as provas em Indoor aqui pelo Rio.

Fico por aqui. Um abraço.

Em breve, divulgo a classificação aqui.

sábado, 24 de maio de 2014

Amizakart 2014: 5ª Etapa - Volta Redonda/RJ

RAMOS/RJ/REDAÇÃO (Choveu!!!!!) – Salve galera!!! Retorno com notícias da 5ª e 6ª etapas do Amizakart 2014. O palco dessa vez, foi a melhor pista outdoor do Rio de Janeiro, falo do Kartódromo Internacional de Volta Redonda, e tudo aconteceu como eu queria. Claro, a vitória não veio, mas me diverti muito, e os dois resultados foram muito bons, comparando as dificuldades que encontrei. Nesse primeiro post, falarei da 1ª bateria, que correspondeu a 5ª etapa do nosso campeonato. Vamos lá.


Sábado chuvoso o dia inteiro, exatamente como eu queria, e partimos aqui de casa, eu, o meu Pai, e o Chico, que veio até aqui para ir de carona conosco. Bom, devagar na estrada, embora tivesse a minha disposição, 130 cv no álcool, mas as condições (chuva e neblina), não me permitiram ir classificando de Ramos a Volta Redonda, paciência (risos), fica para a próxima. Como eu dizia, fomos com calma, e mesmo com um engarrafamento chato em Nova Iguaçu, e outro perto do Kartódromo, às 13h10min estávamos lá. Chegamos, falamos com todos e fomos verificar a pista. Completamente molhada, com várias poças, exatamente como eu queria. Saquei minha roupa de motoboy, sim, aquelas roupas de motoboy para chuva, sabem? Então, eu e meu Pai, compramos uma. É perfeita pra andar de kart também, e você só molha os pés e mãos. Vale muito investir nisso, porque é relativamente barato, dura, e infinitamente mais barato do que um macacão pra chuva, ou, capa de chuva para macacão.

Devidamente paramentado, vamos para o briefing. Nele, verificamos três ausências. Duas por falta nessa etapa, dentre elas, meu companheiro de equipe, e outra, um amigo que por problemas pessoais terá que deixar o grupo. Ouvimos com atenção as considerações e avisos do diretor de prova, e sorteamos os karts. Nessa 1ª bateria, eu andei com o Kart nº 33.  Partimos por parque fechado, vi meu kart e fui até ele. Os karts em Volta Redonda, tem nomes de pilotos que passaram pela fórmula um, e no meu esta lá, um tal de Juan Manoel Fangio. Que responsabilidade hein? Mas até que eu não fiz feio.

Todos prontos, partimos pro qualify.

Saí do parque fechado e peguei a reta (você vendo da arquibancada, sentido horário) andando forte pra ver como o #33 estava. De cara, quase comprei um lote no final da reta, e dizer pra vocês que aquaplanar em linha reta, foi algo normal nessas duas provas. Não esqueçam: estávamos usando karts de 13hp com pneus slick.  Lá fui eu. Andei forte no qualify, mas cometi dois erros. Num deles, comprei um lote e consegui voltar pra pista, na pura “habilidade off road”. Foi sinistro, mas vamos em frente. Terminamos o qualify e aguardamos a montagem do grid de largada. Chamaram-me pra 5ª colocação, e eu até que fiquei feliz, porque como disse, havia abusado um pouco e achava até que largaria mais atrás. Alinhei na minha posição e aguardei a largada. Sinal verde, e lá fomos nós! Larguei bem, mas fui superado antes da 2ª curva, por dois adversários. De 5º cai pra 7º, e literalmente, vamos remar pra recuperar.

Tentando errar pouco, fui avançando. Próximo ao final, travei uma briga bacana com João e o Richard. Cheguei a ultrapassar o João, ficando em 2º, mas rodei... Caí pra 4º, e, “bora” remar novamente... Lá fui eu pra cima do João, que havia sido superado pelo Richard, e depois, novamente pra cima do Richard. Brigamos, brigamos, e eu consegui levar os dois. Honestamente, tive sorte. Uma corrida na chuva é decidida no detalhe, e o João e o Richard, hoje, estavam andando muito forte. Repito, tive muito trabalho e sorte para poder superá-los. No final, marquei um 2º lugar com gostinho de 1º. Essa foi a 1ª bateria do dia. Depois, volto com histórias da 2ª bateria, a 6ª Etapa Amizakart 2014.

Grande abraço!


9ª Etapa AMZK 2017 - Guaratinguetá - Vídeos

Categoria Light: Pole, melhor volta e vitória ( 08 Karts no total, largada lançada) Bateria de convidados: P5 = P5 (18 Karts no total...